terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Linces de novo em liberdade em Portugal


O primeiro passo para Portugal ter de novo linces ibéricos em liberdade em território nacional está dado. Um casal de linces foi libertado numa área de 2 hectares com um cercado de solta branda, na zona de Mértola, sendo esta a primeira fase antes de serem finalmente colocados em liberdade absoluta.

Lince ibérico em liberdade em Portugal
Programa de Conservación Ex-Situ del Lince Ibérico

No entanto, os primeiros tempos de reintrodução da espécie não serão fáceis, com a falta de coelhos bravos, a principal fonte de alimento dos linces ibéricos. Além disso, e devido à experiência espanhola, foram também colocados sinais de trânsito com imagens de linces, de modo a prevenir o seu atropelamento.

Para saberes mais sobre o lince ibérico, clica AQUI.

O lince ibérico, o felino mais ameaçado do mundo, tem sido alvo de um programa de reintrodução em Portugal, com vários centros de reprodução a preparar o retorno deste felino tão característico da Península Ibérica. 

Vê de seguida um vídeo-reportagem da revista Visão, onde podes observar a viagem do casal de linces ibéricos para a liberdade.



segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Conheces este animal? - Bufo Pequeno (Asio otus)


características, alimentação, reprodução e distribuição do Bufo Pequeno (Asio otus)
Foto de Sascha Rösner

Nome: Bufo pequeno (Asio otus)


Características: O Bufo pequeno é uma ave de rapina noturna de médio porte. Pesa cerca de 300 gramas e mede aproximadamente 35cm de comprimento desde o bico até à cauda. Tem o corpo coberto de penas de um tom castanho arruivado, por todo o corpo. Na cabeça exibem uma espécie de uma “orelha”, formada por uns pequenos tufos de penas que se levantam quando a ave está assustada ou atenta. É portadora de uns olhos magníficos e grandes com pupilas negras cor de laranja avermelhados, o que lhes permite terem uma ótima visão noturna. Geralmente são uma ave bastante silenciosa durante o dia, no entanto o seu canto pode ser escutado esporadicamente no inverno e na primavera. 

características, alimentação, reprodução e distribuição do Bufo Pequeno (Asio otus)
Foto de Martin Mecnarowski

Alimentação: Em relação ao seu regime alimentar, como animal noturno caça pequenos mamíferos, sobretudo roedores. Na falta destes também se podem alimentar de pequenas aves, insetos, morcegos e pequenos coelhos. 


Reprodução: Esta ave é bastante preguiçosa, no que respeita à reprodução, uma vez que prefere utilizar um ninho já feito por outras aves, mesmo que já esteja um pouco velho, do que construir um novo para si. Daí que depois de encontrar um ninho à sua medida, a progenitora põe entre 3 a 5 ovos, entre os meses de março e de maio. De seguida, incuba-os durante 25 a 30 dias. Passados cerca de 20 dias após a eclosão, os recém-nascidos começam a trepar às árvores e só passada mais uma semana é que estão aptos para iniciarem pequenos voos.

características, alimentação, reprodução e distribuição do Bufo Pequeno (Asio otus)
Foto de Tom Maack

Distribuição: Esta espécie encontra-se por toda a Europa. Portugal não é exceção, sendo é possível encontrar esta ave nas nossas florestas, um pouco por todo o país continental e também na região dos Açores. 


Queres conhecer melhor outros animais? Visita então o nosso Cantinho dos Animais.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Como se faz a circulação do ar - Sistema Respiratório Humano


O organismo humano necessita de oxigénio para funcionar. Como este gás encontra-se no ar atmosférico, é necessário uma forma de o fazer chegar às células. O sistema de transporte do corpo humano é o sistema sanguíneo, sendo este que irá levar o oxigénio a todas as células. Mas para o oxigénio chegue ao sangue, é necessário que o ar chegue aos pulmões, onde se realiza a hematose pulmonar.

Para saberes mais sobre o que é e como ocorre a hematose pulmonar, clica AQUI.

Mas como se faz a circulação do ar no sistema respiratório humano?


Circulação do ar no Sistema Respiratório Humano

Antes de mais é importante relembrar a constituição do sistema respiratório. Este é formado por duas partes - as vias respiratórias e os pulmões. 


As vias respiratórias (fossas nasais, faringe, laringe, traqueia, brônquios e bronquíolos) são os canais que levam o ar desde o exterior até aos pulmões. Os pulmões, constituídos pelos bronquíolo e pelos alvéolos pulmonares, são os órgãos onde se realizam as trocas gasosas com o sangue. O oxigénio do ar inspirado passa para o sangue, e o dióxido de carbono e o vapor de água, resultantes da respiração celular passam do sangue para o alvéolo, de onde serão eliminados através da expiração.


Circulação do ar

Para perceberes melhor como se faz a circulação do ar, podes ver agora um vídeo muito interessante, que mostra passo a passo como é que o ar circula no sistema respiratório humano.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Conheces este animal? - Urso pardo (Ursus arctos)


características, alimentação, reprodução e distribuição do Urso pardo (Ursus arctos)


Nome: Urso pardo (Ursus arctos)


Características: O urso pardo é uma animal mamífero plantígrado, uma vez que quando se movimenta, apoia no solo, toda a planta do pé. O seu tamanho e o seu peso são bastante variáveis. Os ursos de menor tamanho podem ter cerca de 70 Kg de peso, 90cm de altura na cernelha e 170cm de comprimento, no entanto os ursos de maior tamanho podem pesar mais do que uma tonelada, ter cerca de 150cm de altura na cernelha e 3 m de comprimento, em pé. Em relação à sua pelagem a tonalidade varia entre branco, dourado e castanho-escuro. Na ponta dos pelos apresentam uma tonalidade ligeiramente mais clara, o que lhes confere uma aparência grisalha.


Alimentação: No que respeita à alimentação, este é um animal omnívoro, daí que a sua dieta engloba alimentos como larvas, frutas, pequenos roedores, mas também se alimenta de animais de maior porte como cabritos, lebres e veados ou mesmo animais domésticos tais como carneiros, cabras, aves e coelhos.

características, alimentação, reprodução e distribuição do Urso pardo (Ursus arctos)


Reprodução: O urso pardo é um animal de vida solitária, mas na época de reprodução pode percorrer vários quilómetros à procura de uma companheira. O período de gestação é de seis a nove meses, ao fim do qual nascem normalmente 2 filhos. Durante cerca de um ano e meio, os descendentes são alimentados pela mãe e após este período continuam o seu percurso sozinhos.


Distribuição: Este animal pode ser encontrado, essencialmente, em zonas bastante montanhosas do continente americano, do norte da Europa e no continente asiático. Na Península Ibérica, pode ser avistado nas zonas montanhosas do norte de Espanha. Em Portugal, esta espécie encontra-se extinta desde os primórdios do século passado. No entanto, foi reintroduzida novamente a espécie através de um casal, no parque biológico da Lousã.


Queres conhecer melhor outros animais? Visita então o nosso Cantinho dos Animais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ajude-nos a divulgar o nosso blog. Clique no botão abaixo.