segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Camada de ozono está a aumentar


Após muitos anos em que a camada de ozono perdia espessura anualmente, criando-se um buraco cada vez maior, pela primeira vez a camada de ozono aumenta o seu densidade. Apesar de ser ainda um pequeno passo, esta notícia revelada pelo Programa Ambiental das Nações Unidas mostra que todos os esforços feitos nos últimos 20 anos para inverter a tendência de diminuição da espessura desta camada essencial para a vida na Terra estão a resultar.



O que é a camada de ozono

A camada de ozono, ou ozônio, como se diz no Brasil, é uma região da atmosfera terrestre com grande densidade de ozono. Esta região, que se encontra entre os 15 e 35 km de altitude, com uma espessura média de 10 km, concentra quase 90% de todo o ozono do planeta. A camada de ozono tem a função de filtrar a radiação solar, absorvendo a maior parte da energia solar, voltando a refleti-la para o espaço, e impedindo a passagem dos raios ultravioleta, muito prejudiciais para a vida na Terra e para a saúde das pessoas. Um dos seus efeitos nefastos é o cancro de pele, como o mais comum melanoma. Caso a camada de ozono deixasse de cumprir a sua função por completo, a vida no nosso planeta terminaria.

Foto de Sandro Salomon 


Redução do “buraco” de ozono

De acordo com um estudo das Nações Unidas, os níveis de espessura da camada de ozono começam a regressar aos verificados nos inícios da década de 80, sendo a principal razão apresentada a proibição de clorofluorcarbonetos (CFC), definida no Protocolo de Montreal. Os CFCs são os responsáveis pela redução da espessura da cada de ozono, e com a sua proibição, a camada de ozono conseguiu lentamente recuperar níveis mais aceitáveis.


Os CFCs, usados durante muitos anos em eletrodomésticos e sprays, foram banidos a partir do Protocolo de Montreal, em 1987. No entanto, apesar de terem sido proibidos, existem ainda reservas da atmosfera e no ambiente, o que leva a que o processo seja ainda mais demorado. Contudo, os cientistas acreditam que, de acordo com os resultados deste estudo, em 2050 os níveis de espessura da camada de ozono atinjam novamente os valores do início da década de 80. É portanto uma ótima notícia para o ambiente e para a humanidade, e que mostra que, com esforço e perseverança, é possível mudar o mundo para melhor. 




segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Conheces este animal? - Tentilhão-comum (Fringilla coelebs)

Características, alimentação, reprodução e distribuição do Tentilhão-comum (Fringilla coelebs).
Foto de Andreas Trepte, www.photo-natur.de - tentilhão comum macho

Nome: Tentilhão-comum (Fringilla coelebs)


Características: O tentilhão comum é um pássaro de pequeno porte, apresentando o tamanho aproximado de um pardal comum, cerca de 15cm de comprimento. É uma ave bastante elegante, uma vez que apresenta as asas e a cauda bastante longas em relação ao corpo, o bico e a cabeça são de menores dimensões. No que respeita à plumagem, o macho é portador de cores mais vivas e coloridas, ao passo que a fêmea apresenta uma coloração mais monótona e mais acinzentada.

Características, alimentação, reprodução e distribuição do Tentilhão-comum (Fringilla coelebs).
Foto de Thermos - tentilhão comum fêmea


Alimentação: Em relação à alimentação, a sua dieta alimentar é feita à base de sementes, no entanto na época de reprodução, este animal também procura pequenos invertebrados entre a vegetação arbórea ou no chão.


Reprodução: A época de reprodução começa com a construção dos ninhos. Estes, geralmente são feitos com a ajuda de musgos, líquenes e cascas de árvores. Inicia-se com a postura dos ovos, normalmente no mês de abril quando a temperatura começa a aumentar. Geralmente cada fêmea põe entre 3 a 6 ovos e inicia a incubação por um período de cerca de 12 dias. Após este tempo, dá-se a eclosão e as crias são alimentadas pelos seus progenitores, durante cerca de 2 semanas, até que se tornem independentes e abandonem o ninho.

Características, alimentação, reprodução e distribuição do Tentilhão-comum (Fringilla coelebs)


Distribuição: Esta ave é uma espécie migradora que se encontra distribuída por toda a Europa, pela Ásia central e pelo norte de África. Em Portugal, encontra-se um pouco por todo o país, desde o norte ao sul e ilhas. É uma espécie nidificante no nosso país, embora aumente o número de efetivos durante os meses de outono e inverno.


Conhece estes e outros animais no nosso Cantinho dos Animais

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Como se formam os raios e os trovões


A trovoada está no imaginário de todas as pessoas, ora ligada a crenças religiosas e místicas, ou simplesmente pelo seu efeito assustador ou fascinante. Seja qual for a tua forma de ver as trovoadas, estas são um dos fenómenos mais espetaculares e poderosos da natureza. De seguida podes saber mais sobre o que é uma trovoada e como se formam os raios e os trovões.


O que é a trovoada

Uma trovoada é uma situação meteorológica, onde devido a vários fatores e condições, se formam raios ou relâmpagos e trovões. As trovoadas formam-se quando o ar quente e húmido sobe muito rapidamente, para zonas onde o ar é mais frio, provocando o afundamento deste, formando-se assim nuvens verticais do tipo cúmulos-nimbos. 

Saiba mais: Como se formam as nuvens


Como se formam os raios e os trovões
Foto de John Kerstholt


Como se formam os raios

Dentro das nuvens de trovoada, as partículas de neve e de gelo começam a descer muito rapidamente, criando correntes de ar bastante bruscas, o que provoca fricção entre gotas de água e de gelo, o que vai provocar a formação e a acumulação de eletricidade estática. Na zona superior da nuvem acumulam-se cargas elétricas positivas, enquanto que na zona inferior acumulam-se as cargas elétricas negativas. Quando se acumula demasiada carga negativa, ocorre uma descarga elétrica em direção às cargas positivas, que podem ser as que estão na parte superior da nuvem, ou então, no solo. Estas descargas elétricas têm a aparência de um raio ou relâmpago, bem visível e cheio de luz. 



Como se formam os raios e os trovões


Como se formam os trovões

No seu percurso, os raios, devido à sua altíssima temperatura, aquecem o vapor e o ar à sua volta, obrigando a que estes se expandam de uma forma brusca, seguido de uma contração e arrefecimento súbito. O aquecimento é tão grande que provoca uma explosão violenta, originando o som do trovão. Como a luz e o som viajam a velocidades diferentes, é normal ver-se o raio, e apenas alguns segundos depois ouvir-se o trovão, quando na realidade ocorrem exatamente no mesmo momento.


No vídeo seguinte podes ver imagens fantásticas e impressionantes captadas no momento em que se formam os raios.



Se gostaste deste artigo, visita a nossa página do Facebook 
e faz um like! (AQUI)

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

Conheces este animal? - Javali (Sus scrofa)


características, alimentação, reprodução e distribuição do Javali (Sus scrofa)
Foto de Richard Bartz

Nome: Javali (Sus scrofa)


Características: O javali é um mamífero de médio porte mas de corpo robusto. É um animal muito semelhante ao porco doméstico. Pode atingir cerca de 170 cm de comprimento, nos machos e 146 nas fêmeas. Apresenta um peso médio de 130 Kg, no entanto o seu corpo exibe uma forma arredondada, com patas curtas e fortes. Apresenta o corpo coberto de pelo, normalmente de cor escura. Este animal tem uma particularidade uma vez que ostenta na boca dois dentes caninos, muito desenvolvidos na mandíbula inferior que normalmente são utilizados como meio de defesa.

características, alimentação, reprodução e distribuição do Javali (Sus scrofa)


Alimentação: O javali é um animal omnívoro, pelo que a sua dieta alimentar é constituída um pouco à base de tudo o que consegue encontrar na natureza, no entanto tem preferência por alimentos vegetais como bolotas, castanhas e batatas. Quando estes vegetais estão escassos, no meio em que vive, também se pode alimentar de ratos, coelhos, ovos, minhocas ou larvas de insetos.


Reprodução: Esta é uma espécie que respeita e vive segundo uma sociedade matriarcal, portanto os machos adultos vivem solitários e só se juntam às fêmeas no período reprodutor, entre os meses de novembro e janeiro. Cada progenitora gera entre 3 a 10 crias, em cada gestação. Após o nascimento as crias são amamentadas, pela progenitora, durante os primeiros meses de vida.

características, alimentação, reprodução e distribuição do Javali (Sus scrofa)
Foto de Hajotthu


Distribuição: Esta espécie animal está amplamente distribuída por toda a Europa central e ocidental. Em Portugal, é uma espécie bastante comum em todo o território nacional e nas ilhas.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ajude-nos a divulgar o nosso blog. Clique no botão abaixo.