segunda-feira, 23 de março de 2015

Sistema excretor


A excreção é um dos processos mais básicos e importantes no funcionamento do corpo humano. Através da excreção, substâncias que estejam em excesso ou que sejam prejudiciais ao organismo são eliminadas, permitindo o equilíbrio interno do corpo humano. Estas substâncias podem ter origem na alimentação, ou então, ser produzidas através de reações químicas ocorridas no organismo, durante a respiração celular. Neste processo de transformação de nutrientes em energia, há substâncias tóxicas que são produzidas, e que necessitam por isso de ser excretadas e eliminadas. É aqui que entra o sistema excretor.




O que é o sistema excretor?

O sistema excretor é assim um conjunto de órgãos que tem como função eliminar estas substâncias para o exterior do organismo. Apesar de o sistema urinário ser o mais conhecido, também a pele e o sistema respiratório têm funções idênticas. A urina, o suor e o ar expirado são tudo excreções de substâncias tóxicas e em excesso do organismo.



Como funciona o sistema excretor

As substâncias tóxicas e as substâncias em excesso estão presentes no sangue. Dessa forma, é através da circulação sanguínea que elas chegam aos locais de excreção. O dióxido de carbono é levado até aos alvéolos pulmonares, para aí ser expulso através do ar expirado, e substâncias como a ureia, o ácido úrico, a amónia, entre outras, são excretadas através da urina e do suor.

Contudo, o sistema excretor não elimina apenas estas substâncias. Ao excretar (“deitar fora”) nutrientes em excesso, como proteínas ou minerais, através do sistema urinário e da pele, consegue controlar a composição química do ambiente interno do corpo humano. Além disso, tanto os rins como as glândulas sudoríparas, têm a função de filtrar o sangue, retirando não só substâncias tóxicas ou em excesso, mas também, outras impurezas. 

Sendo os rins responsáveis por quase todo este trabalho, caso o seu funcionamento seja deficiente, surgem problemas renais, que podem levar à realização desta função com recurso a aparelhos médicos. AQUI podes conhecer os cuidados que deves ter com o sistema urinário.

Já a pele, apesar de ter também uma função excretora, tem um papel bastante reduzido, quando comparado com o sistema urinário, tendo como principal função a regulação da temperatura corporal.

segunda-feira, 9 de março de 2015

A importância da sopa


A sopa é um dos pratos mais antigos na civilização humana. Feita com vegetais, legumes, cereais, ou até mesmo carne e peixe, esta foi das primeiras refeições modernas feitas pelos primeiros homens. 

A sopa reveste-se de uma grande importância numa nutrição saudável e completa. Seja ao almoço ou ao jantar (de preferência em ambas), a sopa é um prato essencial para tornar a tua refeição ainda mais completa e nutritiva. De seguida podes aprender o porquê da importância da sopa.

Porque é que a sopa é importante?

A sopa é geralmente um prato nutricionalmente rico, cheio de nutrientes protetores e reguladores (água, fibras, vitaminas e minerais), e com a vantagem de normalmente ser baixo em calorias. Assim, comer um prato de sopa antes da refeição principal, além de ajudar a saciar a fome mais depressa, impedindo assim que comas em demasia alimentos ricos em hidratos de carbono e proteínas, irá nutrir de uma forma mais completa o teu corpo. Além disso, o facto de se ferver água a pouco mais de 100º ajuda a destruir potenciais microrganismos patológicos.

retirado de http://adeusobesidadedatamy.com.br/

Benefícios da sopa na tua nutrição

- ajuda a controlar o peso;
- facilita e regula o trânsito intestinal;
- reforça o sistema imunitário;
- sacia a fome;
- ajuda a prevenir problemas cancerígenos;
- reduz as probabilidades de ocorrência de arteriosclerose;
- maior resistência a doenças digestivas.

Como vês, a sopa, além de ser um alimento saboroso, pode ser igualmente saudável, oferecendo inúmeros benefícios para o funcionamento e saúde do teu corpo. 

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Doenças do sistema circulatório


As doenças do sistema circulatório, também denominadas por doenças cardiovasculares por incluírem aquelas que afetam o coração (cárdio) e os vasos sanguíneos (vasculares), são a principal causa de morte nos países ditos desenvolvidos. De seguida podes conhecer quais as principais doenças do sistema circulatório.

coração

Para saberes como prevenir as doenças do sistema circulatório, consulta o nosso artigo "Cuidados a ter com o Sistema Circulatório".


Doenças do sistema circulatório


  • Enfarte do miocárdio


Esta doença tem origem na interrupção súbita ou na redução considerável de fluxo sanguíneo para o músculo do coração, o miocárdio. Geralmente, esta interrupção ou redução deve-se à acumulação de colesterol ou outras substâncias, bloqueando a artéria que leva o sangue ao miocárdio. Dessa forma, ao deixar de receber o oxigénio necessário, as células do miocárdio começam a degradar-se muito rapidamente, levando à ocorrência do enfarte do miocárdio. 


  • AVC (Acidente Vascular Cerebral)


Tal como no enfarte do miocárdio, devido à interrupção brusca ou redução acentuada de fluxo sanguíneo das células do cérebro ocorre a sua destruição, provocando danos no funcionamento cerebral. As causas dos AVC são por isso o bloqueio de artérias com colesterol ou outras substâncias, mas também, o rompimento de um vaso.


  • Anemia


A anemia surge devido a carências nutricionais, essencialmente de ferro, nutriente responsável pela produção de glóbulos vermelhos. Estas têm a função d levar oxigénio às células.  Ao ocorrer a redução da quantidade de glóbulos vermelhos (ou hemácias), o sangue perde capacidade de oxigenação, levando a um estado de anemia e fraqueza.


  • Leucemia


A leucemia consiste na produção elevada de leucócitos (glóbulos brancos) anormais, o que dificulta o desempenho da primeira linha de defesa do sistema imunitário. A leucemia é assim um tipo de cancro do sangue.


  • Aterosclerose


A aterosclerose é uma doença do sistema circulatório que consiste na perda de elasticidade ou espessamento das paredes das artérias devido à acumulação de colesterol ou outras substâncias.


  • Hipercolesterolemia


Esta doença caracteriza-se pelos níveis elevados de colesterol no sangue, o que leva à sua acumulação nas paredes das artérias, provocando o seu estreitamento, e por consequência, pressão arterial elevada e em último caso, situações de AVC e enfartes.


  • Hipertensão arterial


A hipertensão arterial é uma das mais comuns doenças do sistema circulatório, consistindo na elevação da pressão arterial. Este aumento pode levar ao desenvolvimento de arteriosclerose, provocando assim o estreitamento de pequenas artérias e arteríolas. Além disso, a hipertensão arterial pode também levar ao agravamento da aterosclerose. Outra consequência desta doença é o facto de obrigar o coração, mais propriamente o ventrículo esquerdo, a um trabalho mais intenso, por ter de fazer mais força para conseguir bombear o sangue.

  • Varizes


As veias, vasos responsáveis por levar o sangue de volta ao coração, por vezes perdem a sua elasticidade, resultando na sua dilatação. Esta provoca por sua vez o afastamento das válvulas que têm como função impedir o retorno do sangue, dificultando o seu trabalho. Por essa razão, o sangue acaba por se acumular nessas áreas, formando as chamadas varizes.


Para saberes como prevenir as doenças do sistema circulatório, consulta o nosso artigo "Cuidados a ter com o Sistema Circulatório".

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Dicas para produzir menos lixo em casa


Já imaginaste o que é um dia inteiro sem produzir qualquer lixo? Parece difícil, não é? E que tal dois anos inteiros? "Impossível", provavelmente será a tua reação. No entanto, Lauren Singer, uma jovem nova-iorquina, conseguiu essa proeza. 

A tirar a sua graduação em Estudos Ambientais, Lauren sempre teve uma consciência ecológica, que a levava a ter comportamentos mais responsáveis e a tentar incutir isso nas pessoas à sua volta. Contudo, a dada altura da sua vida, ela olhou para o próprio lixo que produzia e sentiu que podia fazer bem melhor.

Com algumas mudanças de hábitos, Lauren conseguiu reduzir o lixo produzido em casa a zero, contribuindo para um planeta muito mais sustentável. Aos poucos, Lauren foi adotando recipientes próprios e sacos reutilizáveis, começou a comprar a granel de produtores da zona, criando até os seus próprios produtos de limpeza e higiene. 


Mesmo que não reduzas totalmente o lixo que fazes em casa, há algumas dicas simples que te ajudarão a produzir muito menos resíduos, e assim, a diminuir o impacto ambiental sobre o nosso planeta. Descobre de seguida várias dicas para produzir menos lixo em casa.


Dicas para produzir menos lixo em casa

- Começa a comprar frutas e verduras a produtores da tua zona.

- Diminui a utilização de sacos de plásticos, preferindo sacos mais resistentes, que possas usar várias vezes.

- Quando comprares produtos embalados, prefere as embalagens maiores, que levam mais quantidade.

- Sempre que possível, prefira comprar a granel, já que as embalagens são das maiores responsáveis pelo lixo que fazes em casa.

- Sempre que sobrar alguma comida, procura receitas que te permitam utilizar esses restos. Além de reduzires o lixo, poupas ainda o dinheiro.

- Existem muitos objetos e materiais que podem ser reutilizados, dando-lhes uma nova função. Esta é uma das melhores dicas para produzir menos lixo em casa, poupando dinheiro no processo.

- Sabias que há muitas receitas caseiras, simples e bem eficazes, para fazeres produtos de limpeza em casa?

- Se necessitas de algo por tempo limitado, que tal alugar ou pedir emprestado em vez de comprar?

- O mercado de roupas usadas é outra forma de contribuir para um planeta mais sustentável. Além disso, a troca de roupas de crianças é uma excelente forma de poupar dinheiro e evitar desperdiçar recursos.


Imagem de Marcelo Reis
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ajude-nos a divulgar o nosso blog. Clique no botão abaixo.